domingo, 3 de novembro de 2013

Repelentes Naturais para ambientes!

Olá pessoal, verão voltando, e junto com ele os indesejáveis mosquitos, e por isso, para ajudar a acabar com essa agonia vou postar mais algumas dicas para espantar esses malditos.

Use cascas de laranja para espantar os mosquitos!

Poderão ser usadas tambem, cascas de tangerina, bergamota,  (ou mixirica conforme chamamos na minha terra. rsrsr...)

Uma casca de laranja comum que contém vários elementos como o ácido cítrico que é usado na conservação de alimentos e também para afastar mosquitos. Além de afastar mesmo, a maioria dos mosquitos e pernilongos, deixa um suave aroma de laranja no ambiente e a certeza de que você não está colocando nenhum componente químico artificial no ar de sua casa.

É só pegar um aparelho elétrico, usar seu refil velho e gasto, como molde e fazer um novo .
E também pode se acrescentar cravos, que além de perfumar mais o ambiente, são excelentes repelentes…

Evite deixar esses aparelhos ligados quando não estiver ninguém por perto…

Mas cuidado: deixe ligado no ambiente quando estiver alguem por perto. Não convem vacilar, porque o aparelho ligado na tomada poderá causar um incêndio. Tudo pode acontecer, porque os tempos estão maus. Vemos tantos acidentes acontecerem por nada, que todo cuidado é pouco quando se trata da segurança da nossa casa, nossos amados e nossa vida.  (Fonte: Biossustentável).
 
Para a hora das refeições:

Outra sugestão maravilhosa, que poderá ser usada para espantar os mosquitos, moscas e afins, alem de decorar a sua mesa, numa refeição, e o seguinte:

Corte laranjas ao meio.
Retire a polpa, deixando a casaca inteira e bem limpinha.
 Coloque aquelas velinhas no seu interior.
  Na outra parte, faça uma abertura e coloque cravos ao redor.
Acenda a vela e tampe o seu castiçal.
 Você terá uma bela decoração, útil e agradável. 
E os "indesejáveis" não rondarão o ambiente.



Outra sugestão muito interessante é a de envolver com uma casca de laranja, um molho de manjericão (bem fresquinho). 
E na decoração da sua mesa, ele poderá fazer as vezes de um porta guardanapo, ou seja, colocado sobre o guardanapo.  Ao ser usado sobre o colo, o ramo de laranja e manjericão serão colocados ao lado do prato, e o enfeite fará as vezes de um repelente de moscas.
Para um churrasco é maravilhosa esta sugestão. 
Eu particularmente uso muito colocando em vasinhos de vidro pequenos, ou jarrinhas, um molho de manjericão, e o mais interessante é que eles permanecem por muitos dias nesta água, criam raizes, e eu vou usando na comida.

O aroma espalhado pelo ambiente em nada compromete o olfato e sabor dos alimentos apresentados.

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Momento a parte / Extra momment



Vai aqui, uma pequena reflexão, ja que estamos neste clima de dia das crianças, nada mais justo né?

"Você já parou para pensar que tu em sua volta e ate você mesmo ai, são crianças? Pense, todo esse mundão foi feitos por crianças, crianças essas que desenvolveram habilidades, diferentes talvez, mas que juntas completam essa sociedade que temos e esse mundo que vivemos.
Parece ate estranho, mas perceba que ate o homem mais poderoso do universo, é a p e n a s e simplesmente, uma criança. Então, assim as crianças agem, aja também, seja amigo, companheiro, vá ate o fim, persista, e jamais, jamais desista dos seus sonhos."

Campanha Sacolas sustentáveis

Entre no clima da sustentabilidade!

Mais resistentes e ecologicamente corretas, as sacolas sustentáveis tornam-se mais uma alternativa viável para a preservação do meio ambiente por serem biodegradáveis.
Mais de 100 anos. Este é o tempo que uma tradicional sacolinha de mercado leva para se decompor no meio ambiente. O número assusta ainda mais quando paramos para pensar na quantidade de sacolas plásticas produzidas que são distribuídas em supermercados, utilizadas para armazenar lixo e tantas outras utilidades às quais estamos acostumados.

A exemplo de alguns países no mundo, o Brasil foi mais um a aderir a proibição da distribuição de sacolas plásticas nos estabelecimentos. Parte dos estados do país já tiveram seus projetos de lei aprovados, com a lei entrando em vigor no ano que vem, porém, os estabelecimentos têm que se adequar desde já.

Para conscientizar as pessoas, a alternativa encontrada foi estimular o uso de sacolas sustentáveis, pois além de serem mais resistentes, são reutilizáveis e sua decomposição é mais rápida do que as sacolas plásticas tradicionais.

As sacolas sustentáveis geralmente são feitas de tecido pet ou algodão cru, o que garante sua durabilidade, resistência e reutilização. Tomando as devidas precauções quanto a seu uso, uma mesma sacola retornável pode durar aproximadamente três anos.

Sabão feito com Óleo de Cozinha

Você sabia que a reutilização excessiva do óleo de cozinha utilizado para fritar alimentos produz elementos tóxicos que podem causar doenças degenerativas, cardiovasculares e envelhecimento precoce?
É verdade. Além disso, se você jogar este mesmo óleo na pia ou no ralo, você estará contaminando aproximadamente 1000 litros de água potável dos lençóis freáticos -por gota de óleo descartado. Assustador, não é? Mas então, o que fazer com o óleo de cozinha utilizado?
Você pode reciclá-lo de uma maneira muito simples, eficiente e ecológica, transformando-o em sabão caseiro. Este sabão é biodegradável, ou seja, ele se decompõe por bactérias depois de usado, não causando nenhum dano ao meio ambiente.


Para preparar o sabão, siga os seguintes passos:
1. Peneire o óleo para retirar os resíduos e impurezas;
2. Aqueça o óleo sem deixar ferver;
3. Use luvas e adicione soda cáustica (350ml para cada litro de óleo)
 – Muito cuidado com o manuseio da soda cáustica que é altamente corrosiva e tóxica -
4. Para dar perfume ao sabão, adicione 1ml de aromatizante ou amaciante.
5. Mexa lentamente durante 20 minutos;
6. Deixe descansar por um dia se for cortar em barras;
Após uma semana o sabão está pronto para ser usado.

sábado, 14 de setembro de 2013

Sul-Coreanos criam garrafa que transforma água do mar em água potável

transformar-agua-do-mar-em-agua-potavelA Água é um dos recursos mais importantes e essenciais à vida, ela constitui cerca de 70% do nosso corpo, e podemos sobreviver apenas cerca de cinco dias sem ela. Ao longo dos séculos diversos marinheiros e tripulações morreram de sede por falta de água potável em pleno mar, trágico não é mesmo?
Pesquisadores sul-coreanos da universidade de Yonsei, Younsun Kim, Kangkyung Lee, Byungsoo Kim e Minji Kim, desenvolveram uma garrafa dotada de um sistema de purificação portátil que é capaz de dessalinizar água do mar, transformando-a em água potável. A tal garrafa foi batizada de Puri e atua pelo processo de osmose reversa para purificar a água do mar.
O foco do equipamento é a utilização em embarcações, e em emergências em alto mar, quando obter água potável é diferença entre viver ou morrer. De acordo com a Fast Company, o uso da garrada é bastante simples, o usuário precisa apenas bombear a água no embolo, dispositivo que desliza no interior de um cilindro, e pressurizar a água salgada, empurrando-a em uma câmara que efetua sua filtragem.

O equipamento por ser novo pode trazer inseguranças quanto ao seu uso, pois ainda não foi usada em real emergência, porém se se for tão funcional quanto andam divulgando, temos aí um incrível produto de muitíssima importância.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Garrafas pet viram lindos pinguins

Pessoal olha que legal a ideia, é uma forma de reaproveitarmos as pets e enfeitarmos a casa!


Você pode deixar solta (não colar) o fundo da  pet (no caso a touca do pinguim), e usa-lo como porta trecos, olha que maneiro.
Se você tem ideias como essas, mande para nosso blog!

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Tinta Natural


Já pensou em usar simples elementos da natureza para pintar, tingir e pigmentar? Flores, frutos e talos podem fazer esse serviço, e nenhuma dessas plantas necessita de componentes químicos para que o trabalho seja feito.
As plantas têm a capacidade de fornecer mais de 500 cores e qualquer tipo de terra pode ser usado para fazer tintas. O produto natural pode ser utilizado para tingir tecido e papel, corar alimentos e até como cosméticos.
Para usar as tintas nas roupas é necessário alguns cuidados específicos. Saiba como fazer!

Material:
Casca de jabuticaba (rosa)  ou casca de uva preta (azul) ou amora ou morango (tons avermelhados ou violetas) ou Colorau (urucum)
Panela com tampa
Peneira ou coador
Bacia
Potes de vidro com tampa

Modo de Fazer:
Coloque um copo do ingrediente em pó na panela.  Adicione um litro de água, tampe a panela e deixe ferver. Reduza o fogo e cozinhe por 45 minutos a uma hora mexendo bastante.  Depois, deixe esfriar e passe a mistura na peneira. Coloque a tinta nos potes de vidro. Pronto, agora é só usar a imaginação.

Apartamentos também podem ser ecológiocos

O espaço pode até ser apertado, mas isso não impede que atitudes sustentáveis sejam colocadas em prática. Hoje, 19 milhões de brasileiros vivem em apartamentos e nem imaginam que algumas mudanças de hábitos possam fazer tanta diferença. Dar um destino diferente ao lixo orgânico com o uso de sistemas compactos de compostagem é só um exemplo. As hortas verticais também ajudam a deixar a ambiente mais verde, agradável e ecológico.

video: http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=WxTrmxuut8U

Papel de Parede diferente

Quer usar papel de parede mas procura por uma opção mais barata? Cole folhas de livro velhos, como nessa foto. (ou você pode usar folhas de jornal ou revista).

Aprenda a fazer tinta usando terra!


Uma maneira de economizar e contribuir para o meio ambiente!
O Projeto Cores da Terra, da Universidade Federal de Viçosa (UFV), lançou em seu site uma receita que ensina como fazer uma tinta especial a base de terra. Ela pode ser muito eficiente para evitar o uso das tintas comuns, que contêm grandes quantidades de produtos químicos.
Dê uma olhada na “receita”:
Ingredientes
-Uma lata vazia de tinta de 3,6 litros;
-Terra argilosa (seis a oito quilos), água (dez litros), um quilo de cola branca. Pigmentos como açafrão, urucum, areia ou as diversas tonalidades do próprio solo podem ser usadas para obter a cor desejada. Observação: não utilizar terra de formigueiro ou cupim (confira o vídeo abaixo para mais informações).
Modo de preparo
-Misture a terra e a água, passe a mistura numa peneira fina, acrescente a cola e misture novamente. Após fazer isso, adicione a cor com a mistura de pigmentos escolhidos.
Se você quiser obter uma tinta mais fina, passe a mistura por uma peneira por mais de uma vez. Se quiser uma tinta grossa, a peneira não é necessária.
Além de todas as vantagens ambientais, esse tipo de tinta é cerca de 70% mais barata que as tintas convencionais. Uma lata de tinta cobre de 70 a 90 metros quadrados.
Para ver os slides mais explicativos de como produzir a tinta a base de terra, entre no site do projeto!
Comece tentando pintar pequenas áreas. Se der certo, faça um projeto mais ousado!
Confira mais informações no vídeo: http://youtu.be/vGfj0xcO_u8

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Green Life 5: Oceanópolis | Facebook game: A tecnologia a favor ...

Green Life 5: Oceanópolis | Facebook game: A tecnologia a favor ...: Você tem Facebook? Então vai curtir essa! Seu nome é Oceanópolis. A missão é ajudar a ensinar as crianças e adultos como é que se...

Oceanópolis | Facebook game: A tecnologia a favor do meio ambiente

Você tem Facebook? Então vai curtir essa!
Seu nome é Oceanópolis. A missão é ajudar a ensinar as crianças e adultos como é que se recicla lixo e mantém uma ilha tropical limpa.
O jogo promove a reciclagem, bem ao estilo Greenopolis.  O Oceanópolis foi idealizado para que as pessoas joguem com uma interface intuitiva e fácil, pois além de reciclar o lixo você pode ganhar uns trocadinhos e trocar por pontos para ser utilizado no próprio Facebook.
Entre lá e divirta-se!




Muito bom para as crianças de hoje pois une o útil ao agradável.




Almofadas feitas com saco de café



Todos os dias nos deparamos com ideias bacanas e sustentáveis pelo mundo. Principalmente de empresas ou pessoas que conseguem produzir objetos (que normalmente são comuns em nosso dia-a-dia) com materiais reciclados ou reutilizados de uma maneira inteligente e sustentável.
A empresa australiana Velvet Bean criou uma linha de almofadas e pufs, que substituem o tecido por sacos reaproveitados de grãos de café na forração do acessório de decoração. Inovaram, pois conseguiram uma linha de almofadas rústicas, modernas e sustentáveis. As almofadas trazem logotipos de produtores de café de diversas partes do mundo.

sábado, 26 de janeiro de 2013

Ler rótulos, uma pratica simples e muito importante


Você costuma ler rótulos? Este é um dos melhores hábitos para consumir melhor. É na embalagem que o produto se apresenta e oferece informações importantes para guiar o consumidor na hora de decidir a compra. Segundo a Anvisa, cerca de 70% das pessoas consultam os rótulos dos alimentos, mas metade não entende adequadamente o significado do que está neles.
Por isso, não desanime com as letrinhas pequenas, nem se deixe levar somente por figuras, frases chamativas e cores bonitas. O Ideias Verdes separou três dicas para ajudar você a desvendar as prateleiras do supermercado. E não esqueça: é questão de treino. Com o tempo,vira hábito!
1. Do que é feito?Por lei, a lista de ingredientes descrita na embalagem deve estar em ordem decrescente, ou seja, o primeiro ingrediente é aquele que está em maior quantidade no produto e o último, em menor quantidade.
Com essa informação em mãos, é possível avaliar melhor o que você está comprando. Por exemplo: alguns bolinhos prontos, desses que servem de “lanchinho” da tarde (e tem bastante apelo ao consumo infantil), tem mais açúcar do que farinha – ingrediente que deveria ser a base da massa. Melhor fazer o bolo em casa, não?
2. Dá no mesmo?Os rótulos não devem apresentar palavras ou qualquer representação gráfica que possa tornar a informação falsa ou que induza o consumidor ao erro. No Manual do Consumidor, a Anvisa cita como exemplos embalagens de chocolates que demonstram que o consumo de determinada quantidade equivale ao consumo de um copo de leite. “Mesmo que o consumo de chocolate possa equivaler em determinado nutriente (como o cálcio) ao consumo de leite, os dois alimentos não são comparáveis. Essa comparação pode levar o consumidor ao erro”.
Um caso que chamou a atenção da mídia no ano passado foi a do Ketchup Hellmann’s, que exaltava a presença de dez tomates na composição do produto. A partir de queixas de consumidores, o Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária), pediu a alteração do comercial. Uma das frases da propaganda dizia: “Minha filha comia arroz com ketchup, agora come arroz com tomate”. – Leia uma crítica sobre o caso neste link.
3. Símbolo “T”
Você já viu um triângulo amarelo em produtos como estes?
Desde 2003, um decreto federal regulamentou o direito à informação quanto aos alimentos transgênicos nas embalagens dos produtos alimentícios. Além do símbolo, que deve ser impresso na parte da frente da embalagem (que fica voltada para o consumidor quando o produto está na prateleira), o rótulo deve conter expressões como “(nome do produto) transgênico”, “contém (nome do ingrediente ou ingredientes) transgênico(s)” ou “produto produzido a partir de (nome do produto) transgênico”.
O decreto determina ainda que o consumidor seja informado sobre a espécie doadora do gene e se os ingredientes são produzidos a partir de animais alimentados com ração transgênica.
O “T” nas embalagens, porém, não é unanimidade. O deputado federal Luis Carlos Heinze (PP/RS) apresentou um projeto de lei que propõe o fim desse tipo de rotulagem. No seu site, o deputado argumenta que o símbolo amarelo provoca medo nos consumidores. “Ora, sabe-se muito bem que uma legislação que obriga a identificação de ingredientes transgênicos por meio de um triângulo amarelo — normalmente utilizado para placas de existência de risco, conforme a norma ISO nº 3864/02 —, em vez de garantir ao consumidor o direito à plena informação, afasta-o de qualquer avaliação racional, uma vez que provoca medo no consumo e induz ao repúdio desses produtos”.
Heinze diz ainda que a rotulagem atual é contraditória diante das constatações científicas e das políticas de desenvolvimento do governo brasileiro. “A norma de rotulagem também não pode impedir o desenvolvimento de uma área extremamente estratégica para o país, a biotecnologia — setor para o qual o governo brasileiro possui uma política de fomento que prevê investimentos da ordem de R$ 10 bilhões até 2017, entre recursos públicos e privados.”
Para o Idec (Instituto de Defesa do Consumidor), o projeto é um retrocesso e “contraria o direito básico do consumidor à adequada informação sobre produtos lançados no mercado assegurado pelo Código de Defesa do Consumidor, além de inconstitucional por ofender o princípio da precaução e da defesa do consumidor”.
O projeto foi retirado da pauta da Câmara dos Deputados em novembro de 2012, mas pode voltar a qualquer momento.